Sabe se suas campanhas de e-mail marketing são de fato efetivas? 

O e-mail marketing é uma estratégia que pode ser utilizada em qualquer tipo de empresa e setor que estejam querendo atingir clientes ou potenciais clientes ou, até mesmo, colaboradores e parceiros. Contudo, para cada objetivo e ação é necessário medir os resultados com frequência à partir de métricas específicas.

Afinal, para alcançar o sucesso em qualquer ação no ambiente online somente por meio da mensuração é possível aprimorar estratégias para replicar o que funcionou, eliminar o que não foi efetivo e, ainda, entender seu perfil de usuário e entender os principais conteúdos que lhes interessam.

Por esse motivo, para ter um ROI expressivo não basta apenas planejar, segmentar o público da campanha e criar conteúdos sensacionais. É preciso acompanhar as estatísticas mais importantes.

Neste post, explicaremos as principais métricas utilizadas para e-mail marketing que sua empresa deve monitorar para obter resultados animadores com a sua campanha!

Marketing de relacionamento: por que é importante?

1. Abertura

A taxa de abertura de emails é um excelente sinalizador sobre o assunto utilizado nas mensagens. Esse percentual refere-se ao número de pessoas que abriu o email dividido pelo volume de pessoas que o recebeu. Ou seja, uma porcentagem de abertura alta (acima de 20%) significa que o assunto tem conseguido captar rapidamente o interesse do público.

Apesar de ser útil avaliar a taxa de abertura, é muito arriscado basear-se somente nela. Afinal, essa métrica não constata que alguém que abriu sua mensagem tem um interesse real por aquele email. Por isso, o percentual de cliques também deve ser analisado em conjunto.

2. Cliques

A taxa de cliques compara a quantidade de emails clicados com o número de mensagens entregues. Sem dúvida, esse é um dos dados mais valiosos que uma ferramenta de e-mail marketing oferece. Um percentual de cliques elevado quer dizer que o conteúdo enviado é de qualidade e atrai o interesse do público.

Vamos imaginar que uma mensagem tenha baixo nível de cliques, porém a taxa de abertura está boa. Desse modo, podemos concluir que o problema não é o assunto do e-mail. Com certeza o conteúdo precisa ser repensado, pois, se as pessoas estão abrindo as mensagens, mas não clicam, a estratégia de marketing de conteúdo não está funcionando.

É fundamental que a taxa de cliques não seja analisada de forma isolada. O ideal é comparar com o percentual de abertura para obter insights verdadeiros sobre o desempenho da campanha.

3. Crescimento das listas

Quanto mais Leads o negócio gerar, mais chances ele tem de alcançar e engajar a sua persona. Caso a sua empresa não tenha um crescimento significativo da base de contatos, é preciso pensar em estratégias melhores para aumentar a geração de leads.

As Landing Pages devem ser objetivas e claras quanto à oferta que o potencial cliente receberá ao disponibilizar suas informações de contato. As chamadas para assinatura da newsletter também devem estar dentro do site.

4. Bounce

O número de emails que não chegou ao destinatário é conhecido como taxa de rejeição. Esse desvio é dividido em duas categorias: hard bounce e soft bounce:

  • Como hard bounce se encaixam as contas inválidas, canceladas ou inexistentes.
  • O soft bounce é o resultado de uma caixa de entrada lotada ou algum problema com o servidor do seu destinatário.

O monitoramento constante é essencial para obter resultados positivos com a sua campanha. Afinal, uma alta taxa de rejeição mostra que é preciso fazer uma higienização da lista de e-mails. Essa limpeza é fundamental para ter uma lista saudável e um baixo percentual de rejeição.

Após a definição das estatísticas a serem analisadas, monitore periodicamente. Aproveite para retirar dos dados informações valiosas para auxiliar na tomada de decisões estratégicas. Esse é um dos grandes poderes que os dados oferecem às ações de marketing digital: a capacidade de fazer alterações a qualquer momento para otimizar o retorno sobre o investimento.

5. Conversão

Uma conversão pode ser qualquer ação que a empresa deseja que o seu público realize a partir de uma mensagem — realizar uma comprar, baixar um e-book, acessar uma planilha.

Caso a taxa de conversão esteja baixa, é o momento de repensar a página de destino. Se o consumidor for direcionado para um site com velocidade lenta ou com uma Landing Page confusa, os resultados serão catastróficos.

Por isso, invista no aperfeiçoamento da experiência do usuário como um todo. De nada adianta enviar uma mensagem relevante e dificultar o contato do seu potencial cliente com a empresa.

6. Eficácia e qualificação de leads

Na mensuração avançada está a métrica relacionada à eficácia da sua campanha. Nesse caso, é importante analisar a taxa de Leads que se tornaram qualificados e a taxa de Leads que se tornaram, de fato, clientes.

Contar com uma ferramenta de automação de Marketing Digital é fundamental para cruzar esses dados de forma certeira. Além disso, possibilita a realização de testes para descobrir as melhores abordagens, o que contribui para o aumento da eficácia da sua campanha.

7. Descadastro e spam

A taxa de descadastro indica quantas pessoas optaram por sair da sua lista (isto é, decidiram parar de receber suas mensagens). Isso revela problemas com a qualidade de conteúdo e, muitas vezes, com a periodicidade do envio. Um alto índice é um sinal de alerta para a sua empresa e um aviso para uma mudança de estratégia.

 

Já conhece o Zag? A ferramenta mais simples e inteligente de reembolso corporativo do mercado.

 

Por: Isabel Athayde